Panorama atual do Cristianismo Ortodoxo Canônico no Brasil - parte final

PEREIRA monja Rebeca


O território brasileiro já contou com a visita de 04 chefes de igreja: primeiramente o Patriarca antioqueno Elias IV em 1978, em seguida o Patriarca anitoqueno Ignácio IV em 1984, o Patriarca Ecumênico Bartolomeos em 2006 por ocasião do Simpósio “Amazônia”e o Patriarca russo Kirill no ano de 2016.

Vale ressaltar que em 2010 uma Assembléia incluíndo hierarcas ortodoxos canônicos nas Américas do Sul e Central é criada com o intuito de maior conciliaridade e unidade, bem como o debate de problemas, decisões, questões e desafios que a missão neste continente oferece. No entanto, os resultados são relativamente fracos e sem muito frutos. Uma comissão para tradução de textos litúrgicos foi criada no seio de tal Assembleia, no entanto uma edição final conciliar ainda não está em prática. Um problema real é a questão da Igreja Ortodoxa Ucraniana que não é aceita pelo Patriarcado de Moscou, vindo a buscar canonicidade junto ao Patriarcado Ecumenico nos E.U.A. Os encontros da referida Assembléia foram realizados respectivamente em São Paulo (2010), Buenos Aires (2011), Caracas (2012), Curitiba (2013), Peru (2014), México (2015), Panamá (2016).

O número de monásticos brasileiros hoje deve alcançar cerca de 30-35, espalhados em distintas jurisdições canônicas e localidades do globo terrestre: França, E.U.A, Santa Montanha do Athos, México, Argentina, Belorússia e Brasil.

Nenhum seminário ortodoxo de teologia em vigor nem a implantação de centros espirituais tal como monastérios sólidos existem em todo o país. O que impede muito a formação de um ethos ortodoxo que saiba se imprimir no povo local.

Tanto a tradução como o uso de textos litúrgicos em português estão ganhando cada vez espaço. A criação de Editoras (http://editoratheotokos.com.br) e projetos de tradução de literatura espiritual vem se desenvolvendo. Uma loja de artigos religiosos de também já se faz presente no território brasileiro (http://www.casasophia.lojavirtual.com.br).

Todas as Eparquias e a maioria das comunidades litúrgicas canônicas possuem um local próprio na rede (internet), facilitando o contato. Com o avanço da tecnologia principalmente através das redes sociais, a busca de pessoas pela Ortodoxia no Brasil cresce a cada dia. No entanto, a dedicação a projetos de caráter missionário que venha evangelizar o simples povo brasileiro ainda é inexpressivo. Vale ressaltar que no Brasil hoje o titulo de Igreja Ortodoxa do Brasil ou Igreja Ortodoxa brasileira nao esta correlacionado a um panorama canonico, visto nao haver uma Igreja local ortodoxa canonica.

A festa da padroeira do Brasil se dá em outubro. Data em que um dos maiores santuários cristãos do mundo acolhe milhões de pessoas no interior de São Paulo. A Padroeira do país é Maria, a Mãe de Deus, que recebe a denominação de Nossa Senhora Aparecida, em virtude do milagre de sua aparição no início do século XVIII. O povo de uma cidade de São Paulo decidindo prestar homenagem à presença do nobre responsável pela administração do povodado, envia 3 pescadores aos afluentes de um de seus grandes rios,  mesmo apesar de não ser temporada de pesca. Oravam intensamente Deus e Sua Mãe, mas as tentativas eram infrutíferas. Quando estavam quase a desistir da pesca, um dentre eles apanha na rede uma estátua em terracotta, sem a cabeça. Ao lançar novamente a rede, apanha a cabeça da imagem, que envolvem então num lenço. Após terem recuperado as duas partes da imagem, a figura da Virgem Aparecida teria ficado tão pesada que não conseguiam mais movê-la. A partir daquele momento, os três pescadores apanharam tantos peixes que se viram forçados a retornar ao porto, uma vez que o volume da pesca ameaçava afundar as embarcações. Esta foi a primeira intercessão atribuída à santa estátua. A partir de então, muitos milagres tomam lugar junto a estátua da Mãe de Deus de Aparecida.

Lenda esta que faz mostrar a relação do povo crente e a Aquela que vem dar à luz o Deus-Verbo. Muitos locais e cidades importantes espalhadas pelo território brasileiro levam o nome de seus Santos Patronos, como no caso de São Sebastião do Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, São Caetano, Salvador e muitas outras localidades. Terreno fértil para a semeadura da Boa-Nova da Salvação, o Brasil hoje está a espera de mestres que se dediquem a seara de suas terras áridas, mas sedentas em Verdade.

“Ide, pois, e ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo.” (Mateus)


Comentários