sábado, 24 de junho de 2017

A loucura de nossos tempos - parte 02


Nos dias de hoje as noticias nao estao emitindo mensagem alguma para nos, nao estao nos fazendo pensar sobre algo importante na vida que venha a refletir no coracao, em nossa existencia, em nossa verdadeira felicidade. Antes, nossa mente esta constantemente ocupada com pensamentos sobre dinheiro, seguranca social, com a  bolsa de valores.

Alguns dentre aqueles que me ouvem protestarao: "Nao estas fazendo o mesmo? Nao queres o aumento do salario? Nao trabalhas por dinheiro tambem? Es contra o dinheiro? Sem dinheiro nao se pode fazer nada!"

Sim, meus amados, mas o dinheiro nao eh o que esta faltando para se encontrar a felicidade. Olhem! Oro para que encontrem o trablho que desejem, e recebam o dinheiro necessario, que o salario nao seja tirado, mas saibam que isto nao constitui a felicidade em si mesma. Estamos errados se equacionamos e conectamos a felicidade com coisas deste genero.

Voce se levanta de manha e liga as noticias da manha, os comentarios matinais. Desde o comecinho do dia sua mente eh bombardeada com mensagens: politica, mercado, economia, repotagens policiais sobre como as pessoas sobreviveram, quantas foram mortas, onde estao em guerra, quem vai ficar com qual partido, quem vai ficar com o outro, quem vai governar, como vao os eletronicos - realmente pensa que tudo isto vai te fazer feliz? Em verdade, se pensares com calma, vai ver que isto nao tange tua propria vida, teus filhos, Deus. O que isto te proporciona? Mas ao mesmo tempo, voce nao encontra um tempinho para as oracoes da manha, para um livro interessante e construtivo ou uma passagem do Novo Testamento...

Se refletires o suficiente, vais entender que tudo isto eh uma fuga, um alibi ou algo do genero, que usamos para esquecermos nos proprios e nao pensarmos no sentido verdadeiro de nossas vidas. Como somos ajudados por todos os tempos esta nos sendo oferecido hoje? Sera que isto nos fala sobre grandes questoes existenciais: sobre a felicidade, a felicidade interna, sentido da vida, solidao, depressao, medo da nao-existencia?

Tantos pontos de interrogacao sao deixados no mundo, na alma de pessoas jovens - Sera que seus olhos nao nos fazem ponderar? Sentem eles fome pelo sentido da vida? Nao, seus olhos estao ocos, nao ha um pingo de alegria neles, da graca do Espirito Santo recebida no Batismo, mas que consequentemente foi queimada por alguma coisa. Sao olhares cansados. Sera que isto nao nos faz ponderar? Faz-nos dar um sentido a tudo, a dizer as criancas tudo sobre isto, sobre o que se encontra escondido por detras de tudo? Por que estao vivos, para onde vao, como conquistarao o vazio, o tedio e o reino da televisao no interior deles proprios

Voces, gentes e politicos, respondei aos adolescentes, por que estao tao tristes quando voltam pra casa de uma festa? Voces que falam sobre salario, sobre seguro, que expressam sua opiniao sobre tudo, cheguem junto de seus filhos, que tem dinheiro em seus bolsos e o terao ainda, mas que apesar disto, ao retornar da festa ou de outra celebracao qualquer, sente um vazio em sua alma e pergunte: "Por que estou triste? Por que estou deprimido? Por que nada me traz satisfacao? Por que estou fazendo tudo, mas nao consigo sentir alegria? Por que esta faltando alguma coisa e eu nao consigo saber o que eh? Por que sinto constantemente tedio e certa nostalgia?"

Quando todas estas questoes terao uma resposta? E enquanto isso voce esta prometendo salvar o mundo, vai tomar horas diante da TV para desenvolver suas ideias; aquilo que voce fala eh muito importante.

Entao, o que deve ser feito? Precisamos refletir e olhar para nos mesmos, como num espelho; para dentro de Cristo e nao para o interior da mentalidade deste mundo, e so assim vamos ver que tudo esta em ordem.  Mas existe um conjunto de criterios no mundo que vao lhe dizer que voce esta indo bem, enquanto existe um outro diferente na vida em Cristo. De acordo com o mundo, eu sou um insano - talvez voce tambem, a partir do momento que dizemos a mesma coisa...Hoje a epoca esta dizendo uma coisa, e nos outra. Sera que isso eh loucura? OK. Mas esta loucura esta nos deixando viver e interpretar a vida corretamente, estamos de pe e sofrendo de pobreza, uma perda de prazeres mundanos, e podemos vencer a morte.

E o que fazemos com a morte? "Bem, havera aposentadoria!" Tudo certo, voce vai ter aposentadoria, mas o que vai acontecer depois da aposentadoria? Quem vai te falar de pos-aposentadoria? Quem vai te falar sobre a morte, que vira com certeza? Ou, entao, talvez nao acreditamos nisso, e nao aceitamos a morte? Este problema eh concluido pelo nossa admissao de que nao temos fe, somos ateistas e vivemos sem Cristo em nossas vidas. E neste caso eh normal para as pessoas fazerem o que fazem: panico, ser unilateral, aceitar somente solucoes politicas e economicas aos problemas. Tudo isto eh natural nesta atmosfera nao natural em que Cristo esta ausente.

Por exemplo, na TV eles falam: "Cuidemos dos jovens, queremos que eles se divirtam, que sejam felizes!" Boas palavras, nao? Entao os jovens devem se divertir, serem felizes, obterem algo - mas me explique o significado destas palavras. O que quer dizer "entao os jovens devem ser felizes"? "Qualidade de vida". O que significa qualidade de vida?

Ouvi recentemente que a cidade organizou um centro para jovens. Voce cai ao teatro e ve pequenas paixoes, vicios, enganos. Isso eh qualidade? Entao os jovens devem se juntar e organizar um jogo - mas que qualidade de vida esta realidade esta oferecendo a eles?

Tudo esta caminhando para esta direcao. E nos, homens de fe em Cristo, devemos ao menos estar cientes de nossa condicao, converter nossa raiva em oracao e auto-critica. Nao repreendamosa os outros, mas nos proprios, dizendo: "Somos culpados, porque se fossemos verdadeiros cristaos, se tivessemos paz e boas obras em nossas vidas e influenciado o mundo como poderiamos, entao a atmosfera na sociedade e em nossas vidas pessoais seria muito melhor".

pelo Arquimandrita Andre Konanos

quarta-feira, 21 de junho de 2017

A loucura dos nossos tempos - parte 01


Ao assistirmos as noticias, escutar o radio, etc... vemos que nossa vida esta se tornando cada vez mais dificil. "Existe um tipo de inferno em torno de nos", muitas pessoas dizem. Ao vermos as noticias ficamos simplesmente mal. Ouvimos os acontecimentos proximos a nos mesmos e nos espantamos a tal ponto de nos perguntarmos: "Para onde estamos indo? Por que levamos este tipo de vida? Sera que nao poderia ser diferente? Nao poderia ser como o Paraiso?"

Poderia ser como o paraiso. Deus nos criou para a alegria, e nao para o sofrimento. Deus nos trouxe a este mundo nao para fazer de nossa vida um inferno latente, mas antes para que possamos levar uma vida calma, quieta, alegre e criativa. Assim podemos viver ativa, mas ao mesmo tempo, humildemente e de forma pacifica. Podemos ter nossas obrigacoes diarias, boas ocupacoes, familia, amigos, parentes, algo de significativo, modesto, amavel... Quem nao sonha com isso? Nossa vida, todavia, eh completamente o contrario: extremamente tensa, dura, completamente exaustiva, ver podre. Quer dizr, nos conduz a doenca, a acoes prematuras e isto nao sabemos como vai terminar.

Sabemos atraves do Evangelho e da Revelacao que desde que Cristo nos acompanha, o mundo vai de mal a pior. Isto esta muito obvio para nos. Mas apesar disto buscamos outra explicacao de eventos - cientifica, politica, geo-politica, sobrenatural. Sim, mesmo ate sobrenatural, oculta, nem mesmo aceitamos as divinas explicacoes, ensinadas pela Igreja e por Cristo.

Metade da Grecia esta queimando em fogo, mas quem toma isto como um chamado ao arrependimento? Somente poucos cristaos. O outro ato num modo mundano, quer dizer, com certeza, sem males levando em consideracao que realmente deve-se dar uma nova casa ao homem que perdeu sua casa pelo fogo, e dar comida aquele que tem fome. Isto eh verdade, mas saiba o que Sao Cosme de Aitolia dizia? "Ao dares comida para uma crianca, coloque um icone de Cristo em frente dela, para aprender a conectar a comida com Deus, e diga-lhe: "Meu pequenino, esta comida que estas a comer nao eh minha. Meu Deus foi quem me deu! Deus me deu saude, e eu trabalho, Deus nos deu comida e nos comemos. Sua mae prepara uma refeicao para voce, mas Deus nos deu a chuva, e a terra as sementes"...

Tudo no mundo esta conectado. Tudo esta cristianizado na graca de Deus, e a tudo podemos dar uma interpretacao cujo centro eh Cristo, la quando Cristo se encontra no centro e quando tudo eh conduzido por Cristo. Quando desperdicamos e nao compreendemos a mensagem enviada por Cristo em nossas vidas,  e nos tornamos furiosos, e ate menos responsaveis, revoltados contra Deus... o que acontece entao?

Nossa vida pode ser extremamente bela. As promessas de Deus sao claras. No Antigo Testamento, Ele diz: "Se Me ouvires, desfrutaras de tesouros terrestres e de tudo em vossas vidas sera abencoado! Vossas vidas serao como o paraiso, um verdadeiro prazer, verdadeira docura! Se nao deres ouvido as Minhas palavras, a espada vos espera, matarao uns aos outros, engolirao uns aos outros" (cf. Lv. 26).
Se o Senhor nao estiver presente em nossas vidas enquanto fator principal, se Ele nao entrar em nossa mente e controlar nossos atos, pensamentos, decisoes, se nao deixarmos que Ele governe o leme indomavel de nosso "eu", que livra nosso egoismo, se o Senhor nao entrar enquanto governador em meu lar, pais, parlamento - se isto nao acontecer, sera impossivel manter o equilibrio.

A vida humana sem Cristo eh governada por instintos, a logica do absurdo, um faminto por proveitos, a lei da selva, em que o mais forte quer destruir e desmembrar o mais fraco...Se nao houver Deus para ti, quem podera dar sentido a tua vida e dizer o que eh bom e o que eh mal, tudo se torna relativo. "Tudo eh diferente para pessoas diferentes, para ti isto eh mal, para mim eh bom!", como dizem algumas pessoas.

Sem Cristo nao existe criterio comum, chao comum, nao ha ideal com um objetivo concreto diante de nos o qual queremos alcancar, nao existe pessoa que queiramos personificar. O que eh esta pessoa, este ideal que a epoca contemporanea deseja criar? O ideal do homem contemporaneo eh o seguinte: um extrovertido, super ativo, mas ao mesmo tempo uma pessoa profundamente depressiva, que nao ve um sentido nem um objetivo, nao tem futuro, nao sabe nem para onde vai, nem de onde vem e como vai viver.

Tudo isto eh estranho a Igreja. Na Igreja existem diferentes ideiais, um prisma diferente da vida, uma experiencia diferente. Nem todos os cristaos a experimentam, poucos apenas, mas o objetivo eh que o fermento venha a afetar o resto do mundo, trazendo entendimento da absurdidade da vida sem Cristo.
O mundo se encontra constantemente em estados de falta de esperanca, e buscando solucionar tais estados, cria novos. Assim, nunca vamos adquirir paz. Com isso, quando o fogo arrebenta, a catastrofe acontece, um tremor de terra, eh bom cuidar do externo, usar a ciencia e a tecnologia, mas tambem buscar um significado mais profundo nos acontecimentos.

pelo Arquimandrita Andre Konanos

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Jejum & Abstinência

São João de Kronstadt
Aprendestes a ver Deus, a representá-Lo para ti mesmo como sabedoria onipresente, como Palavra viva e ativa (= Verbo, Logos), como Espírito Santo vivificante? A Santa Escritura é o domínio da Sabedoria, da Palavra e do Espírito de Deus-Trindade; nela, Ele revela-Se claramente: "As palavras que Eu vos disgo são espírito e vida" (Jo. 6, 63), diz o Senhor. Os escritos dos Santos Padres também são uma expressão da Sabedoria, da Palavra e do Espírito da Santa Trindade, na qual o espírito de uma elite (espiritual) da humanidade colaborou amplamente. As obras do homem comum deste mundo são expressão do espírito humano decaído, com todas as suas concupiscências, tendências e paixões. Nas Santas Escrituras, nós vemos Deus face a Face e a nós mesmos tais como somos! Homem: conhece-te a ti mesmo, e anda sempre na presença de Deus.
O homem, em suas palavras, não morre; nelas (nas Palavras de vida), ele é imortal, posto que falarão ainda depois de sua morte. Quantas palavras imortais se dizem ainda no meio de nós, que nos foram legadas por aqueles que morreram há muito tempo e que, às vezes, permanecem vivas nos lábios de todo um povo! Como é poderosa a palavra, mesmo a palavra de um homem comum! Mais ainda, então, a Palavra de Deus. Ela viverá através dos tempos e permanecerá sempre viva e efetiva.
Para que servem o jejum e a penitência? Por que razão realizar este esforço? Eles servem para a purificação da alma, a paz do coração, a união com Deus; eles nos preenchem de devoção e de espírito filial e nos dão segurança diante de Deus. Certamente, já existe aqui um bom motivo para nos levar a fazer jejum. Uma recompensa inestimável espera o esforço consciencioso. Porém, será que ainda existem muitos no meio de nós que amam a Deus com um amor verdadeiramente filial? Existiriam ainda muitos que orariam com todo abandono, com segurança, invocando o Nome do nosso Pai do Céu dizendo: "Pai Nosso!"? Será que, ao contrário, esse chamado filial não cessou de ecoar nos nossos corações decaídos pelas vaidades deste mundo e seus prazeres? Nosso Pai dos Céus não estará longe de nossos corações? Não seria visto por nós mais como um Deus irritado, já que O abandonamos partindo a um país longínquo? Sim, pelos nossas faltas, todos merecemos Sua justa cólera e o castigo, e é maravilhoso como Ele mostra-Se paciente e indulgente a nosso respeito. Ele que não quer abater-nos como figueiras estéreis.
Apressemos-nos em apaziguá-Lo com sentimento de arrependimento. Voltemos-nos para dentro de nós mesmos; examinemos o nosso coração com honestidade e, vendo a imensidão de pecados que o torna inacessível à Graça Divina, veremos que estamos espiritualmente mortos.
Vem, Senhor, torna-me vivo pelas Tuas Palavras de Vida e purifica-me pela ascese da submissão de minha vontade à Tua santa vontade. Que este período de Jejum que se inicia me ajude a colocar um novo início em minha vida espiritual, fazendo-me conhecer mais a mim mesmo. Amém!
 por São João de Kronstadt (+ 1908)

sexta-feira, 7 de abril de 2017

COMPREENDER COM O CORACAO E CANTAR COM A ALMA


Seu espaço social é o território do pavilhão neuropsiquiátrico número 3, reservado aos adultos. Decerto, eles não podem viver nosso ritmo habitual, mas isto não quer dizer que são almas pobres. Compreendem tudo com o coração. Os participantes do coletivo de artistas “Os Corações em júbilo” se encontram aqui por distintas vias e em diferentes momentos de suas vidas. O que os reúne é a vontade de não perder a coragem e o desejo de se encontrar.

O que é a vida? Esta pergunta parece muito fácil, mas ao mesmo tempo é muito difícil. A vida, são os raios de sol que se refletem pela manhã, são os rostos dos próximos que nos rodeiam, mas são também as festas e os dias ordinários da semana, os problemas e as alegrias. Em breve, tudo que pode nos tocar a cada dia.

No entanto, existe muito mais ainda: saber do que nutrir nossa alma. Se ela tende ao que e bom e puro, irá então ao encontro das pessoas? Aquele que vive verdadeiramente, tem uma alma aberta à luz e ao amor.

Os dias se seguem bem como os vagões de um trem que passa. A infância, a juventude, a vida em família, as crianças e os filhos… as dificuldades e as alegrias que se sucedem. Tudo isto parece-nos tão natural. E em verdade, como poderia ser diferente?

Todavia, muito próximo de nós, vivem aqueles cujo caminho da vida é totalmente diferente. Seu espaço social é o território do pavilhão neuropsiquiátrico número 3 reservado aos adultos. Para uns eis o destino, enquanto outros passarão toda sua vida.


A maioria das alegrias, mais simples que seja, são inacessíveis para eles. O que é ordinário, comum para nós, permanence e permanecerá desconhecido para eles.

Ao observarmos do alto de nosso mundo, parecem-nos privados de tudo.  Mas isto não é verdade!

Decerto, não podem viver nosso ritmo habitual… o que não quer dizer que são pobres de alma.

- Os irmãos e as irmãs que se dedicam a este serviço de neuropsiquiatria, remarcam sua sinceridade e abertura de coração. Estas pessoas nunca traem e não enganam os outros, porque não o sabem fazer.

Outra particularidade que por vezes pode surpreender os estrangeiros é o “dom” de poder sentir Deus. Eles vem com prazer à capela para os Serviços Divinos e se aproximam dos Sacramentos. Mesmo se suas inteligências não lhes permitem compreender certas coisas, todavia compreendem com o coração.

O que está acessivel aos pacientes deste servico é uma dimensão totalmente “terrestre”: o canto para alguns, bem como a dança para outros. Existe dentre eles e vedetes tambem – um ensemble “Os Corações em júbilo”.


Uma de nossas noviças, a Irmã Tamara, que infelizmente já repousa no Senhor, foi quem deu os primeiros passos e criou este belo ensemble artístico, sempre colocando toda sua alma e seu coração nesta obra. Ao dealbar dos anos, estes artistas tornaram-se uma grande e verdadeira famiíia. Hoje, nossa monja Sofia retomou esta obra e dirige este coletivo.

— Nenhum deles tem alguma educação musical, e portanto todos sabem cantar com sua alma, nos diz M. Sofia. – Eles cantam, mas também sao capazes de ritmar com colheres de madeira e até mesmo dançar. E como é belo o que dizem por tantas vezes!

André Nataltchuk, semi-cego, é o solista do coro. Privado do poder de admirar o mundo, ele o sente, portanto, perfeitamente bem com seu coração, conseguindo transmitir todos os seus sentimentos através das canções que entoa.

— Gosto de cada uma de minhas canções, diz ele. Seria possível não gostar da canção? Cada uma dentre elas tem uma alma e cada uma dentre elas é bela a seu modo. Gosto de interpreter canções de Yuri Antonov (cantor russo popular), as canções dos filmes. São muito cordiais.


Mais uma solista ainda: Hélène Zakharevskaya. Como todas as outras participantes do coro, nunca aprendeu a música professionalmente, todavia sua voz pura toca a alma daqueles que a escutam. Helena é uma verdadeira artista que sabe, apesar de tudo, encontrar alegria em sua vida.

—Tentei cantar ainda como criança. Faz mais de uma ano que estou no coro. Durante os ensaios, fazemos de tudo o que é possivel para nos ajudarmos uns aos outros, por exemplo, se alguém se esquece do texto, estamos lá para ajudá-lo, e isto que nos reúne. Nossos ensaios acontecem três vezes por semana, escolhemos e aprendemos de cor novas canções. Gosto de aparecer em cena, acolhem-nos bem, nos aplaudem. Verdadeiramente, gostaria muito de ir a França! Ver a Torre Eiffel em Paris, subir e observer a cidade do alto!  Sera interessante também poder falar com as pessoas. Toda viagem nos proporciona memórias, a ocasião de fazermos novos conhecimentos e descobrir curiosidades!

O ensemble “Os Corações em júbilo” entram em cena não somente entre as paredes de nossos prédios. Já participaram, por uma vez, na Rússia, de eventos realcionados a Projetos Benevolentes. Nosso projeto para este ano será o de programar uma turnê na Franca.



Isto pode ser possível gracas as dons daqueles que não permanecem indiferentes à suas vidas.

Este sonho pode se realizer, mas para isto precisamos de vossa ajuda. 

Esperamos em Deus que eles possam realizar este sonho!

 Visitem a website do Monasterio: www.obitel-minsk.by

Vossos dons a:
 SOCIETE GENERALE
4, rue du Dôme
67000 STRASBOURG (Franca)

Titular da conta:
MONASTERE SAINTE ELISABETH
BIC: SOGEFRPP

IBAN: FR76 3000 3023 6200 0501 7104 928


segunda-feira, 13 de março de 2017

Amar o próximo sem esperar ser amado

Arq. Sofrônio e São Siluan

Não devemos nos importar o quê as pessoas pensam de nós, ou como eles nos tratam. Vamos deixar de ter medo de cair em desgraça. Amaremos nossos semelhantes sem pensar se eles nos amam. Cristo nos deu o mandamento de amar os outros, mas não fez dele uma condição de salvação que eles nos retribuam o amor. Na verdade, podemos ser positivamente desprezados pela independência do espírito. É essencial nestes dias proteger-nos da influência daqueles com quem entramos em contato. Caso contrário, corremos o risco de perder tanto a fé como a oração. Que o mundo inteiro nos ignore como indignos de atenção, confiança ou respeito - não importa, desde que o Senhor nos aceite. E vice-versa: não nos beneficiará se o mundo inteiro pensa bem de nós e canta os nossos louvores, se o Senhor se recusar a permanecer conosco. Este é apenas um fragmento da liberdade que Cristo quis dizer quando pronunciou as seguintes palavras: "Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará" (João 8.32). Nosso único cuidado será continuar na Palavra de Cristo, a fim de nos tornarmos Seus discípulos e deixarmos de sermos servos do pecado. "

pelo Arquimandrita Sofrônio de Essex


sábado, 11 de março de 2017

UMA BREVE HISTORIA SOBRE A ICONOSTASE






A iconostase (também chamada templon) é uma forma de separação entre a área do santuário da igreja e a nave. Ela distingue o altar (representando os Céus) da nave (representando o Paraíso), unindo-os e mostrando também que através da Encarnação o Pai “une todas as coisas em Cristo”.

Parece que todas as igrejas tinham tal separação nos primórdios do Cristianismo, tanto no Ocidente como no Oriente. No início era uma baixa parede, com por volta de 60 a 90 cm de altura.

Durante o início do período Bizantino até por volta do século nono, ela geralmente tomava a forma de colunas carregando placas escavadas entre tais colunas, exceto no centro, onde se valorizava a entrada (passagem). Estas telas eram quadradas ou retangulares, um pouco elevadas em relação ao nível da nave.

No Ocidente, as separações são geralmente como estas citadas, permanecendo ainda, no entanto, como paredes baixas, sem colunas, como podemos ver em várias antigas igrejas em Roma.

Logo depois da queda do Iconoclasmo em 843, os ícones em Bizâncio começaram a ser adicionados, e eram também, por muitas vezes, pintados nas pilastras da igreja.

No período posterior da igreja Bizantina (1261-1453) vemos ícones do Salvador, da Virgem e dos Santos, colocados nos espaços entre as colunas da própria parede. Este é realmente o nascimento da Iconostase que conhecemos, distinta da simples arquitetura que divide o santuário da nave.

Na Rússia, as iconostases – que têm a tendência de serem em madeira – atingem alturas elevadas, contendo até cinco fileiras de ícones.

Existem infinitas variações em design e material. Na Igreja Copta, por exemplo, a iconostase tradicionalmente é uma espécie de treliça em madeira. No tempos medievais, as igrejas europeias desenvolveram o crucifixo (referente à cruz que a sobrepõem), que pode estar localizada não somente em frente ao altar, mas também à esquerda para  definir o espaço do coro de uma Paraclisis (capela).


A partir do século XX surgiu uma tendência na Igreja Ortodoxa mais voltada as iconostases de baixo estilo, o que não nos impede de encontrarmos todos os tipos sendo realizados.








por Monja Rebeca

quinta-feira, 9 de março de 2017

Sobre o mistério do homem e do Deus-homem


Abba Justin foi uma pessoa profunda, multifacetada, semelhante a Cristo - um homem de estatura e amplitude Paulina, bíblica e patrística. Testemunhou da eterna Verdade pan-Ortodoxa, revelada por Deus e outorgada por Cristo, tanto através de sua vida como por meio de suas palavras, e em palavras e em pensamentos.


Para ele, todo cristão no Corpo de Cristo é "uma extensão da Encarnação de Cristo, da abrangente Economia de salvação do Deus-homem, da experiência do Deus-homem todo-abrangente: da incessante, voluntária e toda-graciosa Theantropização de si mesmo, da Cristianização de si mesmo".

Abba Justin a Vladika Atanasije (na altura, ainda Hieromonge)

por Vladika Atanasije