OS JOVENS NA GRÉCIA HOJE

Ancião MOISÉS o Athonita
tradução de monja Rebeca (Pereira)



Os jovens na Grécia hoje têm uma série de fraquezas. Não gostam de trabalho árduo, são indiferentes a assuntos de real importância, rejeitam conceitos de antemão e são facilmente desencaminhados com ideias triviais. Por outro lado, no entanto, eles mantêm grande desejo de verdade-justiça, anseiam por autenticidade, são sensíveis – no bom sentido – espontâneos, brilhantes, auto-contidos e humanos.

Desconfiam da Igreja – associam-na aos erros de seus representantes. Eles são pouco cautelosos com o Patriotismo, depois das arengas anti-patrióticas de certos não-patriotas modernos. Zombam dos políticos, que demonstraram incompetência e iniquidade mais do que suficientes, mas também incluem a própria política, o que é uma pena. O passado sagrado não os inspira e têm bastante medo do futuro. Em grande medida, justifica-se a atitude de nossos jovens, pois viram a hipocrisia dos “grandes e bons”, que disseram uma coisa e fizeram outra.

Não tenho problema algum em responder às suas perguntas, mas temo o silêncio deles, induzido pela indiferença. Eu poderia ajudar, contribuir para qualquer investigação, para o monitoramento, para a descoberta, para o esclarecimento. A preocupação não é uma coisa ruim, a ansiedade é boa quando leva as pessoas a aprender e encontrar respostas às suas perguntas. Os jovens são simpáticos, com seus olhos brilhantes e objeções bem-intencionadas a uma variedade de atitudes servis, medrosas, tímidas e choramingas. Quem genuinamente estuda e busca a verdade, certamente encontrará luz, justificação, informação, consolo e revigoramento.

Alguns não querem muito, não se interessam por coisas mais altas, ficam felizes em vegetar, não se incomodam, passam o tempo ociosos, não se importam com nada e evitam agarrar qualquer urtiga.

Naturalmente, isso não é verdade apenas para alguns de nossos jovens. Há alguns bons que passam a vida inteira alegremente assim, contentes em culpar os outros por nossa sociedade sórdida. Eles estão constantemente à procura de desculpas e pretextos para justificar seu estado grosseiro.

Qualquer ressurgimento dinâmico do mau gosto e da miséria de uma vida cotidiana sem sentido, uma vida desamparada, uma rotina longa, cansativa e degradante requer determinação, franqueza e audácia. Uma revolução não é jogar coquetéis molotov, quebrar janelas e queimar carros, mas uma ruptura pessoal com seu eu perverso e desagradável, uma remoção de sua falsa aparência, uma rejeição de sua máscara e uma avaliação sóbria de suas responsabilidades e obrigações.

É fácil ser um incrédulo, um ateu, um espírito livre. Mas, na verdade é muito difícil ser um cristão responsável, um verdadeiro crente, um verdadeiro homem ou mulher de Deus. O grande pensador dinamarquês Kierkegaard disse:  “Assim como a flecha, solta do arco pela mão do arqueiro experiente, não descansa até atingir o alvo, assim os homens passam de Deus para Deus. Ele é a alvo para o qual eles foram criados, e eles não descansam até que encontrem seu descanso n’ Ele”.

Os jovens cristãos têm visões inspiradas, objetivos divinos, propósitos sublimes e vidas imbuídas de significado. Eles não são facilmente descartados. Eles não são influenciados por prazeres absurdos e corrupção obscura. Resistem à paixões opostas e demoníacas. Desejam as virtudes e lutam para adquiri-las. Eles são inspirados pela integridade, sinceridade, decência, modéstia, gravidade e moderação. Podem ter menos ganhos materiais, mas têm uma consciência tranquila, alegria em seus corações e prazer em suas almas. Eles não sofrem de culpa, pesadelos, ódios, ciúmes, pura maldade, sentimentos hostis, calúnias ou ações dissimuladas.

Se as pessoas passam a juventude em um vazio espiritual, isso as afetará pelo resto de suas vidas. Perturbações psicológicas profundas criam novos complexos de inferioridade, tédio, solidão e até melancolia. Uma vida sem moral ética, obstáculos ou qualquer outro tipo de restrição tida como livre, no final, escraviza, e o prazer abundante traz apenas um excesso de dor.

O mais angustiante é que algumas pessoas manipulam e exploram os sonhos de nossos jovens. A maioria destes últimos têm uma veia rebelde, uma inclinação para fazer mudanças – importantes, eles diriam. A reavaliação e a reformulação visam algo melhor. E isso não é ruim.

Os adultos, no entanto, querem que seus filhos sejam cópias fiéis e precisas de si mesmos, uma extensão de seus egos, suas ferramentas obedientes e submissas. É por isso que há um esforço organizado para confundir os jovens. Eles os tomam vulneráveis com novas ideias, narcóticos, bebidas, festas e trágicos eventos em estádios esportivos e shows.

Os jovens são chamados a desenvolver um espírito de resistência e uma visão estável em relação a qualquer coisa chata, feia, suja, artificial, vil ou podre. Como disse Claudel, os jovens são feitos para o heroísmo. Os jovens da Grécia merecem um destino melhor, uma atitude mais corajosa, uma grande militância. Eles não precisam ser desencaminhados pelos inescrupulosos, que os enganarão e decepcionarão. Minhas conversas com os jovens na Montanha Santa (Athos) me trazem alegria e esperança e, na verdade, me comovem profundamente.

 

Comentários

  1. Curioso em saber como as moças como da foto que ilustra o artigo conseguiram conversar com o monge na Montanha Santa, se lá não se permite mulheres...

    ResponderExcluir

Postar um comentário