sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Orar... como?




Padre, por que é tão difícil orar certas vezes?
Padre Andrej: Os Santos Padres costumavam dizer que “Orar significa deitar seu próprio sangue”. Quando alguém ora, ele deve estar focado em Deus. Se sua mente perambula, se seu coração salta e pula em sentimentos e emoções, se ele é insconsciente, podes imaginar o quão difícil é para tal pessoa afinar sua frequência com Deus? Todo este barulho e vaidade, todos estes medos e problemas em torno…devemos nos livrar de tudo isso.

Assim que uma pessoa ingressa na Igreja, tudo deve ser deixado de lado porque tal pessoa vem a Deus, vem para confissão e não há mais nada no mundo além de sua alma enferma e desamparada. Já devem ter ouvido um hino durante a Liturgia que diz, “Afastemos de nós todo cuidado terrestre”. Tentamos deixar de lado tudo e entrar num mundo diferente. Se permanecemos onde estamos, com certeza, milagre algum acontecerá (quero dizer, o milagre da transformação e santificação do ser humano). Será impossível ultrapassar a gravidade da terra.

Como podemos forçar nossos corações pecadores a orar?
Padre Andrej: Existem inúmeros métodos para tal. O mais importante é que não devemos desesperar, se não sentirmos estar orando em dado momento. Seu desejo por orar e sua auto-renúncia são o início da oração. Sua alma já sofre por ser tão fraca e incapaz de orar. Isto requer pedir perdão,  pedir a Deus ajuda, e se dirigir novamente à igreja, onde finalmente recebemos a graciosa ajuda de Deus.

Oração significa deitar seu próprio sangue. Quando alguém ora, ele luta contra o mundo inteiro. Quebramos os laços deste mundo através de oração e seguimos Cristo, mesmo apesar do mundo nos distrair, cegar, ensurdecer e tornar ao redor de nós tudo possível a nos fazer parar. Vês qual é o desafio desta vida? Se começarmos a orar, adquirimos tanto! Como nossa oração age? De acordo com as palavras de São Serafim de Sarov, “Encontre a paz dentro de teu coração e milhares serão salvos ao teu redor.”

Podemos por anos falar e reprimir nossos familiares pelo fato de não fazerem isto ou aquilo; que isto é ruim. Mas eles não prestam atenção as nossas palavras. No entanto, no momento em que começarmos a ter uma vida genuína de oração, eis a nossa vitória: Deus vai agir do nosso lado, e nossos familiares mudarão inevitavelmente. Um monge abandona o mundo mas suas orações protegem todos os seus familiares. Ser monge não quer dizer fugir de problemas, mas pelo contrário, tendo encontrado o núcleo de tais problemas, levar seus fardos em seus próprios ombros.

Como podemos aprender a orar atentivamente?
Padre Andrej: Aquele que for capaz de aprender, aprenderá. Sem dores, nada de ganhos. Quando a oração realmente se tornar algo de importante para alguém, quando ele sacrificar seu tempo e força para que ela se torne a parte mais vital de sua vida, então Deus o ensinará como a um bebê. Somos todos bebês; necessitamos todos da ajuda de Deus, Suas bençãos e Seu poder/potência.

pelo Arcipreste Andrej Lemeshonok
Pai Espiritual do Monastério de Santa Elisabeth em Minsk


Nenhum comentário:

Postar um comentário