terça-feira, 7 de abril de 2015

Venerando a Virgem Maria




Desde os primeiros tempos do Cristianismo, a Santa Virgem Maria, pelas Suas graças maravilhosas, por ser a escolhida de Deus e pela Sua permanente ajuda aos necessitados, sempre obteve a veneração e a gratidão dos cristãos.

A veneração da Toda-Santa Virgem Maria, começou desde o momento em que o Arcanjo Gabriel A saudou e Lhe comunicou o mistério da maternidade divina do Filho de Deus: “Rejubila-Te, Maria, Cheia de Graça! O Senhor é con´Tigo! Bendita és Tu entre as mulheres e Bendito é o fruto do Teu ventre!”

Com esta mesma saudação, acrescentada das palavras: “Bendito é o Fruto de Teu ventre!” a Sagrada Virgem Maria foi recebida por Isabel, mulher do sacerdote Zacarias, à qual o Espírito Santo revelou que estava perante a Mãe de Jesus Cristo (Lucas 1:41).

A dedicada veneração da Toda-Santa Virgem Maria na Igreja Cristã é realizada em numerosas datas, que a Igreja destaca como recordações de inúmeras circunstâncias da vida da Sagrada Virgem. Importantes Santos e pastores da igreja elaboraram hinos preces em honra da Virgem Maria, e se expressaram profundamente inspirados espiritualmente por Ela. Juntamente com esta intensa veneração pela Mãe de Deus, é importante para a nossa própria aprendizagem sabermos como Ela viveu, como Se preparou, como cresceu e amadureceu até este elevado nível de evolução, — ser o receptáculo da Palavra de Deus.

As escrituras do Antigo Testamento, que previram o nascimento do Filho de Deus, fazem referências também à Toda-Santa Virgem Maria. Desta forma, a primeira menção ao Cristo Salvador,  que já incluía também uma profecia em relação à Virgem Santa, foi feita no julgamento a serpente:

 “Criarei o litígio (como sinônimo de diferença) entre ti e a Mulher e entre a tua semente e a semente d'ela” (Gênesis 3:15). A profecia que já se refere ao futuro Cristo-Salvador, aqui nesta citação é representado pela referência à semente Dela enquanto em todas as outras situações os descendentes são citados como sementes de qualquer um dos descendentes masculinos.

O profeta Isaías clarifica mais ainda esta profecia, indicando que Ela, a Mulher escolhida para gerar o Messias-Emanuel, será Virgem: “Pois por isso o Senhor Deus vos dará este sinal” — diz o profeta aos pouco crentes descendentes de David. E apesar do termo “Virgem” parecer estranho aos antigos povos judeus, (uma vez que necessariamente pressupõe uma relação conjugal), eles não se atreveram a trocar a palavra “Virgem” por outra do tipo “Mulher”. Portanto: “Uma Virgem conceberá e dará a luz um filho, e seu nome será Emanuel” — nome que significa: Deus está conosco” (Isaías 7:14).

pelo Bispo Alexsandr Mileant

Nenhum comentário:

Postar um comentário