Sobre os prazeres



Segundo São João Damasceno, alguns prazeres são da alma, e outros são do corpo. "O prazer que provém do aprendizado e da contemplação pertence somente à alma" (On the Orthodox Faith). Os prazeres que provém do gosto estético, tais como música elevada, arte elevada, etc... também são prazeres da alma. Mas os prazeres que usualmente pensamos pertencerem exclusivamente ao corpo são na verdade compartilhados pela alma e pelo corpo. Isso inclui o prazer de comer, o prazer do intercurso sexual, etc... No entanto, não existem prazeres que pertençam exclusivamente ao corpo.

Dos prazeres compartilhados pelo corpo, alguns são bastante naturais e também necessários, pois sem eles não poderíamos viver: alimento e a vestimenta necessária. Ainda outros prazeres são naturais, mas de forma alguma necessários, por exemplo: relações sexuais naturais e legítimas (com uma esposa). Isso assegura a continuação da raça; mas no entanto é perfeitamente possível viver em virgindade.

Outros prazeres ainda, não são nem necessários nem naturais, por exemplo: álcool em quantidade toxicante, impudícia e muito e qualquer coisa que exceda nossas necessidades. Esses prazeres não contribuem em nada para manter a nossa vida ou perpetuar a raça; ao contrário, eles são danosos.

"Por isso, o homem que vive de acordo com Deus deve procurar primeiramente aqueles prazeres que são tanto necessários quanto naturais. Mas aqueles que são naturais mas desnecessários devem ocupar um lugar secundário na vida e serem permitidos somente quando o tempo, a maneira e a moderação os permitirem.

Finalmente, os outros (aqueles que não são nem necessários nem naturais) devem ser absolutamente rejeitados"(On the Orhodox Faith).

Comentários