quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Utilização do komboskini (cordão de oração)


- Ancião, o que significa o komboskini[κομποσκοίνι]?

- O komboskini é uma herança, uma benção, a nós legada pelos Santos Padres. É por isso que tem um grande valor. Vedes como quando um avô deixa alguma coisa para seu neto, em herança, mesmo que seja um objeto insignificante, ele conserva como se fosse um talismã. Quanto mais devemos conservar o komboskini, em guisa de herança dos Santos Padres.

Nos tempos antigos, quando não haviam relógios, os monges contavam o tempo da oração com o komboskini, mas os nós do komboskini eram simples.

Certo dia, um asceta fazia muitas prostrações em seus combates espirituais. O diabo chega de repente e parte os nós de seu komboskini. O pobre homem faz então prosternações sobre prosternações, por não mais poder contar e prosseguir sua luta. Assim, ele aprende a fazer os nós, de sorte que cada em dos nós seja constituído de nove cruzes. Diante disto, o diabo, que treme diante da cruz, não mais o pode perturbar. Desta forma, os nós do cordão de oração têm nove cruzes, que simbolizam as nove ordens angélicas (Hierarquia Celeste).

- Ancião, existem komboskini de 33, 50, 100 e 300 nós. 
Que significado tem o número de nós?

- Somente o número 33 é simbólico, pois ele simboliza os 33 anos que Cristo viveu sobre a terra. Os outros números permitem, simplesmente, contar as prostrações que estamos realizando ou quantas vezes recitamos a oração.

Algumas máquinas têm uma corda com um dispositivo para fazer o motor andar, é necessário puxar a corda firmemente, por muitas e seguidas vezes, até que ele comece a trabalhar. O mesmo poderíamos dizer para o komboskini, que é um cordão que puxamos uma, duas, cinco, dez vezes, para fazer andar nossa máquina espiritual e girar o motor de nossa oração, alimentando com um carburador espiritual até atingir à oração incessante, que mais tarde, funcionará por si-só.

Todavia, quando chegamos a atingir o estado da oração do coração não deveríamos mais abandonar o komboskini a fim de que os outros que ainda não a atingiram, não o abandonem e nem desistam, de igual modo, mais cedo.

- Ancião, quando pego meu komboskini e recito a oração, eu o faço de maneira mecânica. Será que não existe ai um perigo de vã glória?

- Se utilizares o komboskini de maneira externa, isto pode ser vá glória e mesmo se suas mãos passarem o cordão de oração, não será de proveito algum. Isto só vos trará cansaço e a ilusão de que sois capazes de praticar a oração noética.

- Ancião, não sou habituado a trazer um komboskini.

- Deveria trazer um. Pelo menos pelo fato de não esquecer a oração, que deve ser trabalhada no interior do coração. Quando, é claro, deixares tua cela, lembre-se de que o inimigo está mais do que pronto ao combate. Assim, imite o bom soldado, que sai de sua caserna com sua arma a postos, “à mão”.

O komboskini tem um grande poder. É a arma do monge e seus nós são as balas, que atiradas aos pés dos demônios fazem perder suas sandálias.

                                         pelo Ancião Paísios do Monte Athos
(em “Sobre a oração”, VII versão francesa da fonte por Maxime le minime)

4 comentários:

  1. Como se faz um komboskini, e qual a técnica para fazelo ?

    ResponderExcluir
  2. Como se faz um komboskini, e qual a técnica para fazelo ?

    ResponderExcluir
  3. Eh um processo que precisa ser demonstrado por alguem... Talvez existam videos no youtube que possam ajudar.

    perdao pela demora na resposta!
    A paz de Cristo!

    A.O

    ResponderExcluir
  4. Os monges da Abadia da Ressurreição no Paraná, fazem por encomenda.
    Dá pra pedir pelo site deles

    ResponderExcluir