Entrevista com o Sacerdote Marko Obradović - parte 2

Sacerdote Marko (Obradović) e Diácono Marcelo (Paiva)
Sagrada Liturgia campal
Rio de Janeiro - agosto 2014

Segue a segunda parte da Entrevista com o Sacerdote Marko Obradović, Pároco Ortodoxo responsável pela Paróquia Ortodoxa Missionária dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo do Patriarcado Ortodoxo Sérvio em Campinas (SP).

Nesta segunda parte, conheceremos um pouco de um universo até então desconhecido para a Ortodoxia brasileira: espiritualidade de uma grande dinastia sérvia.

Para seguir o andamento da Entrevista, sugerimos acessar a parte 1.


AuroraOrtodoxia: E a espiritualidade sérvia? Sabemos que a história deste grandioso povo de Deus é ornada com inúmeros exemplos de santidade no próprio seio de suas dinastias reais. Este panorama é algo de completamente desconhecido à realidade do Novo Mundo, principalmente o Brasil. Por favor, fale-nos um pouco sobre a Dinastia Nemanjić.


Vinha dos Nemanjići
Afresco no Monastério Patriarcado de Petch - Kosovo

Sacerdote Marko: Tanto a espiritualidade sérvia como a história do povo sérvio é em verdade magnificamente rica e engloba todas as partes do ser sérvio, sem elas não se poderia nem imaginar o presente nem o futuro sérvios.

Em verdade, em face de todos os exemplos de santidade dos Santos que os sérvios têm como ferventes intercessores diante do Senhor, um lugar de destaque ocupa a família real Nemanijić. Eles são um exemplo excepcional de martírio, arrependimento, ascese, confissão de fé, bem como suas obras: erigiram tantas igrejas e monastérios que se perdem os números, sem falar nas primeiras escolas e hospitais.

Dentre inúmeras dinastias sérvias, a Dinastia Nemanijić foi aquela que mais contribui no estado sérvio e no povo durante dois séculos (1169-1371; 1381). Em oito séculos de hereditariedade Nemanijić, tanto em linha de geração masculina, dentre os quais são conhecidos mais de 60 exemplos celebrados como Santos dentre os Nemanijići comemoramos 19 e além deste número, contamos ainda com as gerações femininas, em maior número.

O líder da Dinastia é o Grande Jupan (título parecido ao de Príncipe) de Rashka, Stefan Nemanja , filho do Príncipe Zavida. Deixando a Igreja Latina, na qual se faz batizar primeiramente, Nemanja se converte em sua maturidade à fé ortodoxa, tornando-se seu fiel herdeiro, defendendo-a de toda heresia, principalmente aquela dos bogomiles. Torna-se Grande Jupan em 1169, levando o estado sérvio à independência em 1180. Em sua velhice, abdica do trono em favor de seu filho Stefan (1196), vindo a se tonsurar e ingressar nas ordens monásticas em Studenitsa, sob o nome de Simeão, donde, parte, em dois anos à Santa Montanha do Athos (Monastério de Vatopedi), onde em Hilandar, então em ruínas, adormece aos 13 (26) de Fevereiro de 1200, donde seu filho São Savas translada suas relíquias à Studenitsa (1208).


Igreja principal
Santo Monastério de Studenitsa
Fundação de Stefan Nemanja
Nemanja é comemorado como Venerável Simeão o Miroblita, aos 13 (26) de Fevereiro. No Monastério de Hilandar, é comemorado aos 05 e Dezembro (segundo o novo calendário).

Nemanja foi casado com Ana, filha do Tzar grego Roman IV. Sua fundação é o Monastério da Mãe de Deus na confluência de Kosanice em Toplica, onde recebe a tonsura monástica sob o nome de Anastásia e vive seu últimos dias. Adormece aos 21 de Junho (05 jul) antes de 1200.

O primeiro Rei sérvio coroado, Stefan Prvoventchani (116-1227), conhecido no povo como Santo Rei (Sveti Kralh), é contado dentre as jóias de glória dos sérvios, e em virtude dele a semana de sua memória recebe o nome de semana real (kralheva sedmitsa). Dele se dá início o ramo real Nemanjić. A cada 07 de Outubro (24 set, antigo calendário), realiza-se um memorial ao Rei Stefan Prvoventchani, que enquanto monge Simão, adormece neste mesmo dia no ano de 1227.

O filho mais novo de Nemanja, Rastko, futuro São Savas, fundador de casas de restabelecimento, organizador do Monastério de Jitcha e do código de leis para os irmãos, Fundador-mor de escolas e iniciador do renascimento literário em nossa história. Em uma palavra, o primeiro nome de nossa cultura por muitos séculos. Tornou a Igreja Sérvia independente em 1219, tornando-se seu primeiro Arcebispo. Não devemos negligenciar sua ação política e diplomática enquanto estadista, ele representa, em verdade, uma presença indispensavelmente sábia, contribuindo na ascensão do Estado Medieval Sérvio. Adormece no dia 14 (27) de Janeiro do ano de 1235, domingo na cidade búlgara de Trnovo. Na Igreja, sua memória principal é festejada no dia 14 (27) de Janeiro. No dia 27 de Abril / 10 Maio comemoramos as Correntes de Savas, data em que celebramos a memória da incineração de suas santas relíquias no ano de 1594 no Vratchar. Em 19 de Maio, comemoramos o Translado de suas santas relíquias da Bulgária para a Sérvia, realizado no ano de 1337. Na sugestão de Atanasije Nikolitch, reitor do Liceu em Kraguievats, São Savas torna-se o Patrono das escolas sob a decisão do Principado Soviético Sérvio em 02 de Janeiro de 1840, sendo neste mesmo ano comemorado em Kraguievats e Belgrado.

São Simeão (Nemanja), São Simão (Stefan Prvoventchani) e Sto. Rei Vladislav
Afresco Monastério de Krushedol - Sérvia

O filho do meio de Stefan Prvoventchani, o Rei Vladislav, herdeiro de seu irmão mais velho Radoslav (1227-1234) no trono, foi mui-merecidamente o defensor e coluna do ethos Ortodoxo. O Rei Vladislav, durante seu curto reinado (1234-1243) confrontou a heresia dos bogomiles, evitou a intrusão do Herceg croata Koloman, guardando a fronteira ortodoxa no rio Cetina e resistiu à invasão mongol. Imortalizado como construtor do Monastério de Mileshevo, que prepara para acolher as santas relíquias de seu tio, São Savas, vindouras da Bulgária. A Igreja o comemora aos 07 de Outubro, data de comemoração principal de seu pai, Santo Stefan Prvoventchani (Santo Rei).

O mais bem sucedido no trono foi o terceiro filho de Stefan Prvoventchani, Rei Urosh I (1243-1267). Fortalece a Sérvia, melhorando-a economicamente. Constrói o renomado Monastério de Sopotchani, sendo derrubado do trono por seu filho Dragutin. Torna-se o monge Simeão. Adormece no Senhor aos 01 / 14 de Maio 1277.

Monastério de Sopotchani
Rashka - Sérvia
O quarto filho do Rei Stefan Prvoventchani é o zeloso herdeiro de seu grande tio, São Savas, no trono episcopal, sendo nosso terceiro Arcebispo (1263-1271) – chamado Savas II (nome no mundo, Predislav). Tonsurado monge em Hilandar, Savas torna-se Bispo de Hum. Mais tarde, substitui Arsênio de Srem no trono arquiepiscopal. Enquanto perseguidor de heréticos, dá ênfase as Leis de São Savas. Sua memória principal na igreja é aos 21 de Fevereiro. Comemorado também na segunda semana após o Pentecostes, junto aos Santos que brilharam na Santa Montanha do Athos.

Menos significativo como Rei de Rashka (1276-1282), mas, no entanto, de inestimável valor como o governante das partes ocidentais (Rei de Srem 1284-1316), onde fortifica a Ortodoxia, o Rei Dragutin entrega o trono ao seu irmão mais novo Milutin na Assembléia em Deževa, em 1282. Fundador do Monastério de Ahilha em Arilhiu, Tronosha junto a Lozitsa, Tchelia junto a Valhevo, Ratcha próximo à Drina, Papratcha junto a Zvornik, Tavna junto a Tusle, Liplha em Banha Luka e outros ainda. Parte ao Senhor em 02 de Março de 1316. A Igreja o comemora principalmente no dia 29 de Outubro (12 nov), sob o nome de Monge Teoctisto, na mesma altura em que festejamos o Rei Milutin, sua mãe Helena (adormece no ano de 1306) e descoberta das veneráveis relíquias de Santo Stefan de Detchani.

Santo Rei Milutin
Afresco no Monastério de Studenitsa - Sérvia
O Rei Milutin fundamentou o poder do Estado sérvio que, sob seu neto o Imperador Dushan atingirá seu auge. Governou por quatro décadas (1282-1321), e levantou cerca de quarenta  fundações (igrejas e monastérios), mais do que todos os Nemanjići anteriores a ele. Construiu pela terra sérvia, em seguida, na Santa Montanha do Athos, Jerusalém e no Monte Sinai. O mais famoso dentre suas fundações se encontra o Monastério de Gracanitsa no Kosovo. Sua memória principal é comemorada pela Igreja no dia 30 de Outubro (12 de Novembro).


Rei Stefan Detchanski (1321-1331) é a personalidade mais trágica na Vinha dos regentes Nemanjići. É castigado por seu próprio pai que o torna cego e toma-lhe o poder. Deposto e emprisionado, é por fim assassinado por ordem de seu filho (em Zvecane, 1336), recebendo com razão, o nome de Rei Mártir. Como fruto de ação de graças por ter sido curado de sua cegueira por São Nicolau (de Mira), faz erigir o belíssimo Monastério Visoki Detchani e por isto é chamado Detchanski. Comemorado no calendário da Igreja aos 11 (24) de Novembro, juntamente com o Santo monge Stefan (Urosh IV, filho do Rei Dragutin), que adormece no ano de 1316 (11 Novembro no antigo calendário).

Aos 03 de Junho a Igreja festeja a memória de Santa Helena Detchanski. Filha do Rei Milutin, casada com o Rei búlgaro Mihailo Shishiman (1323-1330). Helena (nome no mundo Ana/Neda) se entrega à ascese no Monastério de Detchani. Morre aproximadamente no ano de 1350.

Santas relíquias do Tzar-Mártir Stefan Detchanski - incorruptas e fonte de muitos milagres
Santo Monastério Visoki Detchani - KOSOVO (Sérvia)

A Sérvia Medieval estava no auge de poder do Estado no tempo do reinado do Imperador Dushan (1331-1355), cujo coroamento das obras é o Código, promulgado no dia da Ascensão, em 29 de Maio de 1349, também ampliado posteriormente (1354) no dia desta mesma Festa. Muitos governantes da Dinastia Nemanjić morreram enquanto monges tonsurados e Santos declarados . O Imperador Dushan é uma exceção deste caso.

Tzar Urosh, atribuído como o Fraco pela música popular, é filho de Dushan o Poderoso. Morre no 33º ano de vida, no dia 04 de dezembro de 1371. Este ano é considerado como aquele da queda do Império Sérvio; apenas dois meses depois os sérvios são levados a fugir para Maritsa, dando início ao desmembramento do Estado Medieval Sérvio. A Igreja o comemora no dia 02 (15) de Dezembro, quando também se comemora a lembrança de sua mãe, a Imperatriz Helena (monja Elisabeta ou Isabel, em seguida Megalo-Mártir Eugênia) que morre aos 07 de Novembro de 1376.

Santos Atanásio e Josafá os Meteoritas
Afresco no Grande Meteora


Último ramo, com o qual a linha masculina da linhagem Nemanjići se extingue é Jovan, filho do Imperador do Épiro Sinisha (Simeon), meio-irmão mais novo de Dushan Nemanjić. Jovan, após a morte de seu pai, renega o poder imperial e se dedica à vida monástica. A Igreja o comemora aos 03 de Maio, como o Venerável Josafá, chamado Meteorito, por ter sido o fundador de um dos monastérios do Meteora – o Grande Meteora - dedicado à Transfiguração do Senhor. Morre em paz no ano de 1422/1423.

A entrevista continua...

Comentários