sábado, 25 de outubro de 2014

Domingo dos Santos Padres do VII Concílio Ecumênico


No Domingo entre 11-17 Outubro (24-30), nossa Santa Igreja Ortodoxa faz memória dos Santos Padres do VII Concílio Ecumênico, realizado em Nicéia em 787. Este Concílio, o último Ecumênico, confirma todos os outros 6 Concílios Ecumênicos anteriores e principalmente define o papel dos Santos Ícones enquanto objeto de veneração no culto do ethos ortodoxo.

Seguem algumas partes próprias do Serviço Litúrgico de Vésperas, Sticheras de Vésperas em 'Senhor, a Ti clamo'- tom VI, cuja beleza hinológica nos ensina a fundamentar os dogmas em nosso Credo.

I) Os Santos Concílios que os Padres estabeleceram em diversas épocas em número de sete, foram reunidos pelo Patriarca Germano o Jovem, em um só e mesmo cânone redigido de forma admirável, de tal modo que fossem conservados neles todos os seus decretos; e por eles os Padres foram escolhidos, como vigilantes intercessores junto do Senhor, para a salvação do rebanho do qual são os pastores.

II) A letra da Lei tornou venerável o número sete para os filhos dos hebreus que apegaram-se a este misterioso símbolo para oculto divino, e vós, ó Padres, reunidos em sete Concílios sob a ordem de Deus, Ele mesmo que em seis dias criou o Universo e abençoou o sétimo dia, tornando-o mais santo ainda como regra de fé.

III) Padres três vezes bem-aventurados, vós especificastes claramente que a gênesis do mundo tem sua causa na Santíssima Trindade; realizásseis, por um misterioso cálculo  e considerando a verdadeira fé, os Concílios em número de três e quatro, demonstrando que, se quatro elementos o constituem, é pela Santíssima Trindade que o mundo foi criado.

IV) Ao ilustre Profeta Eliseu bastou apenas uma vez dobrar-se sobre o filho da Sunamita para dar-lhe o sopro de vida; mas dobrou-se até sete vezes, intimamente, como Profeta anunciando, Santos Padres, os encontros onde vós estariam reunidos para reanimar o Verbo de Deus, flagelando com a morte a doutrina de Ário.

V) Dividida e rasgada por cães que rugiam, a túnica de Cristo foi reparada por vós sabiamente, veneráveis Padres, não suportando de vê-Lo despojado, como Sem e Jafté não ousaram contemplar como outrora a nudez paterna, eis porque, vós cobriste de vergonha o assassino Ário, monstro de furor bem como todos aqueles do seu partido.

VI) Macedônio, Nestório, Dióscoro, Eutico, Apolinário, Severo e Sabélio, lobos temíveis sob aspecto de ovelha, foram afugentados por vós, verdadeiros pastores, para longe do rebanho de Cristo e tornados miseráveis pois foram despojados de suas falsas peles, eis porque nós vos proclamamos bem-aventurados.

Glória ao Pai - Celebremos neste dia os Padres Teóforos, trombetas místicas do Espírito que fizeram ecoar no meio da Igreja a divina harmonia, proclamando a única essência da Divina Trindade; contra Ário eles sustentaram a verdadeira fé e sem cessar, intercedem junto de Deus para que Ele tenha piedade de nossas almas.

O culto dos Santos Ícones também é comemorado na Primeiro Domingo da Grande Quaresma, o conhecido Domingo do Triunfo da Ortodoxia. Mas, por que chamar de triunfo? A resposta justamente ajuda a compreender o local do ícone na vivência da fá ortodoxa. Ele é um instrumento que nos ajuda a nos aproximarmos de Deus através de uma relação viva - é desta forma que o mistério do Invisível se faz conhecer em nossos vasos de argila - pela presença luminosa da natureza transfigurada.

Neste ano de 2014, aos 26 de Outubro, a Igreja Ortodoxa no Brasil cresce um pouco mais... cresce em número de ceifeiros do Grande Mestre. A Paróquia da Santa Mártir Zenáide no Rio de Janeiro, da jurisdição do Patriarcado Russo, estará acolhendo seu Hierarca que durante a Sagrada Liturgia fará adentrar nas Ordens Sacerdotais mais um Diácono. 

O Blog AuroraOrtodoxia tem a honra e a imensa alegria de clamar: AXIOS! ELE É DIGNO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário